• Obras Complementares, na BR-101/SC, focam mobilidade urbana

Obras Complementares, na BR-101/SC, focam mobilidade urbana

03 Out, 2018 15:19:42 - BR-101

Tubarão (SC) 

 As Obras Complementares à duplicação da BR-101 Sul catarinense focam a mobilidade urbana para veículos e pedestres. Com a expansão rodoviária finalizada, a construção de vias laterais, calçadas e obras de artes especiais (OAEs) garantem a circulação segura de pedestres e a trafegabilidade dos automóveis entre bairros lindeiros, liberando o fluxo de veículos em longo curso.

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/SC) mantem trabalhos construtivos para novas vias laterais em Bentos (Laguna) e Santiago/Taquaruçu, em Pescaria Brava. Nesses segmentos, as ruas lindeiras vão acrescer novos corredores entre aglomerados urbanos, facilitando a mobilidade entre comunidades. Ao todo, cerca de 4,9 mil metros de novas vias serão construídas nos próximos meses.

O lote de Obras Complementares e Remanescentes se estende do km 300, em Laguna, até o km 358, em Sangão e já construiu e liberou cerca de dois mil metros de vias laterais. No km 339, em Tubarão, o DNIT/SC também construiu – e já liberou ao tráfego – um novo viaduto, para acesso e retorno de sentido, ligando as comunidades de Fábio Silva, via Vila Cruzeiro e chegando ao Sertão dos Corrêas. Essa ligação sob o fluxo da rodovia federal resolve o problema de comunicação terrestre entre os aglomerados urbanos, que antes somente era possível percorrendo um retorno em nível, intervindo no denso trânsito que se formava no Morro do Formigão.

Se novos espaços foram preparados para os veículos, os pedestres também têm plataformas para circulação e travessia segura de pistas. Quatro novas passarelas foram construídas em Capivari de Baixo (km 326, em Vila Flor) e Tubarão (km 334, Humaitá, km 336, no Morrotes e km 342, em São Cristóvão). Para complementar, foram construídos e liberados outros 1,5 mil metros de calçadas em Pescaria Brava com 2,2 mil metros construídos em na travessia urbana do bairro São Cristóvão.

Esse foco na mobilidade urbana entre bairros atende aos requisitos do Programa de Melhoria nas Travessias Urbanas, ação socioeconômica e ambiental comtemplada pelo Plano Básico Ambiental (PBA) das obras de duplicação, na BR-101 Sul. Esse programa tem como meta a adequação do planejamento, construção e operação da rodovia, de modo a integra-la ao espaço urbano, através do planejamento estratégico entre comunidades, órgãos públicos e o empreendedor (DNIT).  

Com a implantação das pistas duplicadas, foi inserida no projeto a construção as passarelas, passagens inferiores para pedestres, passagens inferiores de veículos, ruas laterais, calçadas, faixas de pedestres, sinalização vertical, ciclo faixas e pontos de ônibus, para melhor atender os moradores e usuários da rodovia, priorizando a segurança dos mesmos, tanto no período de obras como depois de concluídas

Nas obras de duplicação da BR-101 Sul, entre Palhoça (SC) a Osório (RS) foram construídas 34 passarelas e 24 passagens inferiores de pedestres, sem contar 211 quilômetros de vias laterais construídas somente no trecho catarinense, calçadas, ciclo faixas em Laguna, Tubarão e nas comunidades lindeiras do trecho gaúcho.

Tráfego em vias lindeiras requer cuidado dos motoristas e pedestres, na BR-101 Sul/SC

 Os motoristas que trafegam pela BR-101 Sul catarinense devem redobrar os cuidados durante as travessias de aglomerados urbanos lindeiros da rodovia federal, onde há maior circulação de trânsito local de veículos. Nas travessias em São João do Sul, Santa Rosa do Sul, Sombrio, Araranguá, Maracajá, Içara, Sangão, Jaguaruna, Tubarão, Capivari de Baixo, Pescaria Brava, Laguna, Imbituba e Paulo Lopes, em horários específicos, as pistas duplicadas e vias laterais recebem acréscimo de automóveis e pedestres em circulação.

A duplicação da rodovia federal em Santa Catarina tem alguns trechos inseridos em travessias de cidades. Em muitos deles, as pistas e obras de arte especiais (OAEs) abrem caminho entre bairros, fazendo com que novos hábitos de segurança sejam adotados. Nesses aglomerados há circulação de pessoas, motorizadas ou a pé, que utilizam os espaços construídos, influindo no fluxo de longo curso nas pistas. Nas vias laterais, o cuidado dos usuários é quanto ao acesso às cidades litorâneas, entrepostos comerciais, postos de combustíveis ou indústrias, pelas alças laterais.

Lindeiras às OAEs, as vias laterais são ligações seguras entre bairros e são os acessos entre a rodovia e cidades lindeiras. Pelas vias paralelas a BR-101 Sul os pedestres de movimentam, seguindo pelos passeios públicos construídos. Ao acessar uma cidade lindeira, os motoristas devem atentar a sinalização vertical que limita a velocidade em 50 km/h, atentando ainda para as faixas de pedestres instaladas, principalmente próximas dos dispositivos de travessia, como as passarelas. Em aglomerações urbanas lindeiras a rodovia, canteiros de obras mudam a geografia local, em trechos com grande fluxo de veículos e pedestres. A movimentação de trabalhadores e equipamentos muda hábitos cotidianos, requerendo de motoristas e pedestres cuidados redobrados para evitar acidentes.

Nos trechos já duplicados da BR-101 Sul em Santa Catarina, a velocidade máxima permitida é de 110 km/h para veículos de pequeno porte e 90 km/h para veículos maiores. No Rio Grande do Sul, com a duplicação das pistas finalizadas, o limite de velocidade é menor, fixado em 100 km/h para veículos pequenos e 80 km/h para veículos pesados. Nas travessias urbanas gaúchas o limite de velocidade é de 80 km/h, independentemente do tamanho do veículo. Já nas travessias urbanas catarinenses, o limite de velocidade não sofre alteração.


TEXTO/ASSESSORIA DE IMPRENSA 
FOTO/DIVULGAÇÃO 

REDAÇÃO JINEWS
Postado por REDAÇÃO JINEWS

Tudo o que acontece em Içara, Balneário Rincão e na região você encontra primeiro aqui!

CDL Içara