• Empresas utilizam a nuvem para elevar qualidade de seus serviços

    Em todo o mundo mais de 80% das empresas planejam adotar estratégias em cloud para os seus negócios. No Brasil, setores como RH, segurança e administração pública utilizam a computação em nuvem para oferecer mais vantagens nos seus negócios&nb

Empresas utilizam a nuvem para elevar qualidade de seus serviços

20 Jun, 2018 15:40:22 - Tecnologia

Joinville (SC)

Não tem como negar que o presente e o futuro é a nuvem. E ninguém mais questiona isso. O  mercado tem a previsão de atingir os US$ 162 bilhões em operações até 2019.  Cada vez mais empresas brasileiras estão moldando seus serviços à computação na nuvem. A economia com infraestrutura de TI, a praticidade de acesso às informações e a segurança da informação estão entre as principais vantagens desse recurso.   


Um estudo sobre a adoção de serviços em nuvem por Pequenas Médias Empresas (PMEs), intitulado "The State of Cloud Acceptance by SMBs", realizado pela Paessler AG, mostra que decisores de TI (ITDMs) têm uma opinião pessoal positiva sobre a nuvem. Em média, 80,1% mostrou interesse em adotar uma estratégia de cloud.


“Não há como negar que a computação em nuvem abriu portas para as empresas no quesito inovação e valorização dos serviços que oferecem. Na verdade, quem ainda não migrou deixou de ter competitividade”, afirma Diego Brites Ramos, Diretor Geral da Teltec Solutions, integradora de soluções em nuvem.  


A Teltec, que oferece paras empresas soluções integradas em computação em nuvem, se reposicionou no mercado de TI com o aumento da demanda por mais opções  de serviços na nuvem. “O conceito de multicloud surgiu da necessidade de utilização de mais de uma estrutura em nuvem com  o intuito de utilizar diferentes fornecedores”, afirma Ramos. Com isso, o objetivo  é aumentar a eficiência desses serviços  e reduzir seus custos.


Recursos Humanos


Uma pesquisa recente da Veritas Technologies à Vanson Bourne revela que a maioria das companhias (56%) prioriza a nuvem para implantação de novos aplicativos. É o caso da Ahgora Sistemas, que comercializa produtos de gestão de acesso, ponto e presença. A empresa desenvolve aplicações para diferentes segmentos e formatos de trabalho (como home office, externos, etc.)


“Com as aplicações da Ahgora um colaborador externo pode registrar o ponto no celular e, em questão de segundos, o seu gestor acessar as informações no software. Isso só é possível porque todas as nossas aplicações são em nuvem, o que possibilita aos gestores acompanharem suas equipes mesmo a distância”, afirma Lázaro Malta, CEO da empresa.


A empresa combina a tecnologia IoT (Internet das coisas) nos equipamentos  com os sistemas em nuvem, o que permite fazer a gestão em tempo real dos colaboradores presentes na empresa (seja uma loja, fábrica, etc.), isso porque os equipamentos enviam as informações no instante do registro, que pode ser acessado de qualquer lugar.


Administração pública


Outro exemplo de empresa que investe e fomenta o uso da nuvem é a IPM Sistemas, que desenvolve software para gestão pública. O setor está sempre buscando equilibrar eficiência e economia, desafio que conta com a tecnologia em nuvem como importante aliada, facilitando a otimização da produtividade e o corte de gastos. Com o apoio da nuvem, reduz-se a necessidade de implantação de grandes parques de TI, que ocupam espaço e consomem energia, além da manutenção dos equipamentos, mão de obra especializada, espaço físico adequado (sala, energia, refrigeração e segurança física), infraestrutura de cabeamento e servidores.


“A nuvem permite que os nossos softwares fiquem armazenados em um ambiente único e seguro. Outra vantagem é que qualquer cidadão pode utilizar os recursos, de qualquer ponto, 24h por dia, 7 dias por semana, por qualquer dispositivo conectado à internet”, afirma Aldo Luiz Mees, Diretor Presidente da IPM.


Segurança


O videomonitoramento, umas das soluções mais populares na área da segurança, movimenta, mundialmente, cerca de US$ 30,4 bilhões, e tende a crescer 15,5% anualmente de acordo com a consultoria MarketandMarketes. A maior parte das soluções para esse fim são baseadas em aparelhos analógicos, como os DVR’S. A Camerite, empresa de Joinville, desenvolve um software de monitoramento de imagens de segurança na nuvem.


Por ser baseada na nuvem, a solução permite que as imagens sejam acessadas 24h, compartilhadas, gravadas em uma linha do tempo de até 30 dias e incorporada com outras tecnologias. Um exemplo é a adesão de Inteligência Artificial na nuvem. Com as inovações, é possível identificar  placas de carros, sua leitura e cruzamento de informações com dados de veículos roubados, por exemplo.


“Estamos fomentando a virada do mercado de monitoramento. Já o inserimos na Era digital por meio da nuvem, agora é a vez de o expandirmos com Inteligência Artificial, levando cada vez mais segurança às pessoas”, explica Cristian Aquino, CEO da Camerite.


Aplicativos


O mercado de Software como Serviço (SaaS) é o maior quando se fala em nuvem. De acordo com o Gartner, esse setor deve crescer 22,2% neste ano, atingindo US$ 73,6 bilhões. As soluções nesse formato podem ser aplicativos web ou mobile, além de softwares. A tecnologia é tanto desenvolvida na nuvem quanto pode trazer essa funcionalidade para os usuários finais — armazenamento de fotos na nuvem, por exemplo.


A popularização do SaaS facilitou o desenvolvimento de aplicativos, chegando — até certo ponto — a democratizar a programação. Victor Oliveira, CEO da Cheesecake Labs, empresa que desenvolve aplicativos e softwares terceirizados na nuvem, conta que “antigamente para criar um sistema assim, o empreendedor precisava comprar computadores e investir em uma infraestrutura cara. Hoje em dia, com alguns cliques, o desenvolvedor cria um servidor na cloud, que conecta pessoas e  apps, seja em sistemas de transporte, saúde, alimentação, etc”.


TEXTO/ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO
FOTO/DIVULGAÇÃO

REDAÇÃO JINEWS
Postado por REDAÇÃO JINEWS

Tudo o que acontece em Içara, Balneário Rincão e na região você encontra primeiro aqui!

CDL Içara