• Educação Ambiental faz paralelo das obras na BR-101 Sul/SC e realidade em comunidades

Educação Ambiental faz paralelo das obras na BR-101 Sul/SC e realidade em comunidades

12 Nov, 2018 17:20:12 - BR-101

Tubarão (SC)

As ações de Educação Ambiental desenvolvidas na duplicação da BR-101 Sul catarinense agregam conteúdo para alunos, professores, comunidades e trabalhadores envolvidos nas obras, traçando paralelos. Enquanto os trabalhos construtivos modificam o meio ambiente no entorno dos aglomerados urbanos, as mudanças no cotidiano dos moradores trazidos pelas novas condições de segurança na trafegabilidade vão refazendo os traços da segurança no trânsito e, também, a percepção ambiental.

A discussão desses comportamentos é explorada nas oficinas de EA desenvolvidas pelo DNIT/SC e realizadas pelo Consórcio Concremat-Tecnosolo (Gestora Ambiental). Para muitas das pessoas atingidas pela sensibilização ambiental proposta nas palestras, a realidade das obras de duplicação da BR-101 Sul já foi absorvida, tornando a rodovia federal parte do cenário doméstico. Nas conversações com as comunidades – principalmente às lindeiras do lote de Obras Complementares em Laguna, Pescaria Brava e Tubarão, as ações feitas apresentam os impactos ambientais que um empreendimento do porte da expansão rodoviária da BR-101 traz para a natureza e as propostas implementadas pelo Plano Básico Ambiental (PBA) para mitigar os danos causados.

Para que o conjunto de ações executadas pelo DNIT/SC seja abordado nas palestras, a Gestora Ambiental agrega ao material apresentado os trabalhos realizados para conservação e manutenção das pistas duplicadas, principalmente a coleta e reciclagem de lixo deixados pelos usuários em trânsito. A intenção é apresentar os serviços mantidos que reduzem o impacto ambiental também na fase de pós-obras.

Somado a isso, as apresentações do DNIT/Consórcio, principalmente nas escolas, traça um paralelo entre as ações de seguridade ambiental desenvolvidos na rodovia federal e o que é feito nas comunidades, seja na coleta e destinação do lixo doméstico e se há reciclagem feita no bairro. As palestras também aprofundam a percepção dos problemas ambientais, trabalhando a realidade do entorno das escolas, abordando ainda a forma como é tratado o lixo doméstico.

Para os envolvidos pelo empreendimento, a equipe complementa as palestras com informações sobre os 22 Programas Socioambientais e um Estudo desenvolvidos paralelamente às obras, bem como noções de segurança no trânsito, em atendimento, como medidas de mitigação exigida pelo licenciamento ambiental federal conduzido pelo Ibama.

As oficinas de EA são realizadas pelo consórcio desde 2005, quando iniciaram as obras de duplicação e já reuniram cerca de 65,8 mil expectadores, entre eles alunos, professores, trabalhadores e moradores. Com as atividades nos lotes de Obras Complementares em execução em Tubarão, Pescaria Brava e Laguna, as ações de sensibilização ambiental continuam.

A equipe de Comunicação Social e Educação Ambiental do Consórcio, a pedido do DNIT, realiza ações para obtenção da Licença de Operação da BR-101 Sul. O consórcio age nas comunidades e nas escolas lindeiras trazendo, agora, a realidade das transformações ambientais, estruturais e de trafegabilidade trazidas pela duplicação da rodovia federal. Essa continuidade vem aumentando ainda mais o número de pessoas que interagem com conteúdo apresentado, criando sensibilização ambiental para um pós-obras.

Conheça os riscos para quem trafega usando acostamentos da BR-101 Sul/SC

12/11/2018 – Nos trechos duplicados da BR-101 Sul catarinense, os espaços destinados para acostamento devem ser utilizados em paradas necessárias. Trafegar com veículos expõe os usuários da rodovia federal ao risco de acidentes e, por isso, deve-se utilizá-lo de maneira correta, respeitando o uso desta faixa de segurança.

A parada no acostamento é indicada somente em caso de emergência, urgência ou pane mecânica/elétrica no veículo. Além de perigoso, o tráfego de veículos pelo acostamento é infração de trânsito, sendo passível de multa ao condutor. O veículo flagrado trafegando em circulação pelo acostamento é autuado por infração gravíssima, com multa.

Não é recomendado usar o acostamento para atender ao telefone celular. Caso seja necessário, procure um local seguro, como um posto de combustíveis. Já quando o veículo apresentar problemas e necessita usar o acostamento, é importante ligar a sinalização luminosa (pisca), indicando a parada com o triângulo-refletivo numa distância de 50 metros do local. Usar galhos de arbustos também é válido, colocando-os após o triângulo de maneira a não atrapalhar os outros usuários. Pneus e outros objetos maiores não são recomendados, pois oferecem riscos, principalmente aos motociclistas. Após sinalizar, o motorista deve entrar em contato com a PRF ou uma empresa de guinchos para retirar o veículo na via, oferecendo mais segurança aos usuários da rodovia. Para entrar em contato com a PRF o número de telefone é 191.

Atenção aos espaços sinalizados – Outra recomendação de segurança feita aos usuários da BR-101 Sul é quanto ao trânsito por locais demarcados pela sinalização horizontal (zebrado), na saída ou entrada de obras de arte especiais, vias laterais ou acessos a municípios, bairros e locais públicos. Os motoristas devem atentar ao sentido de circulação do tráfego, orientado pela sinalização vertical, para evitar riscos de acidentes. Em paradas na BR-101 Sul, é proibido o estacionamento sobre os espaços zebrados, acessos ou vias laterais.

Retornos de pistas, somente em locais corretos – Ao acessar as vias laterais, para completar a manobra de retorno ou acesso às cidades lindeiras, os motoristas devem ter atenção à sinalização vertical indicatória para ter certeza que naquele ponto da rodovia é possível a entrada. Anterior aos viadutos, o DNIT instala painéis, com a altura das estruturas, para que transportadores de carga meçam o tamanho da carga e façam a manobra de retorno.

Nos trechos duplicados, o retorno de sentido deve ser feito sob as obras de arte especiais (OAEs) liberadas. Os cuidados devem ser redobrados ao acessar as pistas sob os viadutos e passagens inferiores, observando o fluxo de veículos nas vias lindeiras, bem como a altura das estruturas. Em algumas vias laterais há tráfego de veículos em mão dupla, sendo que os usuários devem ficar atentos à sinalização vertical disposta.

Além das OAEs, a mudança de sentido nas faixas de rolagem pode ser realizada em retornos em nível, construídos em trechos duplicados da BR-101 Sul. Há retornos em nível no 259, em Paulo Lopes, no km 344, em Tubarão, no km 406, entre os viadutos de transposição do banhado de Maracajá, e no km 460 e km 461, em Santa Rosa do Sul. Nestes trechos os motoristas devem atentar para o reingresso na rodovia, sempre paralelo à faixa destinada ao fluxo rápido de veículos.

TEXTO/ ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

REDAÇÃO JINEWS
Postado por REDAÇÃO JINEWS

Tudo o que acontece em Içara, Balneário Rincão e na região você encontra primeiro aqui!

CDL Içara