DNIT/SC retoma Obras Complementares, na BR-101, depois do feriado prolongado

05 Nov, 2018 16:26:35 - BR-101

Pescaria Brava (SC)

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/SC) retoma nesta segunda-feira, 05 de novembro, trabalhos construtivos de vias laterais na BR-101 Sul, trecho catarinense. O lote de Obras Complementares tem trabalhos no km 306 (Laguna) e km 322 (Pescaria Brava), sem interferir no fluxo de veículos, porém, com entrada e saída de veículos pesados. O início desta semana também traz tempo estável com Sol, garantindo as condições ideais para o avanço dos serviços.

No segmento em construção no km 322 – no acesso ao CTG Preto Velho, a compactação de rochas para compor a sub-base asfáltica já ultrapassa os 39% de execução. Dos 2.880 metros de nova via lateral, entre o km 321,165 ao km 324,045, entre os bairros de Santigado a Estiva, em Pescaria Brava, cerca de 900 metros já receberam a sub-base, formada por rochas britadas.

Já em Bentos, comunidade localizada no trecho da BR-101 que cruza a cidade de Laguna, a rua lateral em construção entre o km 306,3 ao km 307,2 tem cerca de 350 metros de sub-base já compactada, num total de 31% da superfície total. Os trabalhos nesses dois trechos vão continuar durante toda a semana.

O DNIT/SC também retoma as roçadas de vegetação em bordos, taludes e canteiro central da BR-101 entre as cidades de Paulo Lopes a Passo de Torres. As melhorias no pavimento asfáltico em Laguna, entre o km 302 ao km 312, são executadas em paralelo aos demais serviços de manutenção/conservação. Em todos os locais com atividades há identificação com sinalização vertical provisória, sendo necessária, em momentos alternados, a interrupção do tráfego para o deslocamento de trabalhadores e equipamentos.

Para informações sobre a BR-101 Sul, obras que ainda estão sendo executadas e as condições de trafegabilidade em trecho com trabalhos de conservação, o DNIT, através do consórcio das empresas Concremat-Tecnosolo – responsável pela Gestão Ambiental da duplicação, disponibiliza os canais de atendimento pelo telefone 0800 6030 101 e os links úteis no site www.101sul.com.br.

Na BR-101, ciclistas devem evitar tráfego por locais acostamentos e locais confinados

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/SC) recomenda aos ciclistas, profissionais ou amadores no esporte, que evitem o tráfego utilizando o acostamento e espaços confinados na BR-101 Sul. Isso porque esses locais servem para urgências ou emergências com veículos e ocupantes. Quando um motorista para no acostamento, o tráfego de bicicletas acaba ocupando as faixas de rolagem, deixando os ciclistas expostos ao fluxo da rodovia federal. Assim, ambos tornam-se sujeitos propensos a acidentes.

Assim como os acostamentos, a autarquia recomenda que os ciclistas evitem o trânsito pelos espaços confinados, como túneis de Morro Agudo, em Paulo Lopes, do Morro do Formigão, em Tubarão e as transposições em Morro Alto, Maquiné (RS), pontes como a Anita Garibaldi (Laguna) e elevados de grande extensão, como o do Contorno de Araranguá (km 409). Com a movimentação direta pelo fluxo da BR-101, dentro destes segmentos, motoristas e os próprios ciclistas se expõem ao risco de acidentes. Em circulação dentro dos túneis, é proibida a parada para fotos, observação dos veículos ou da obra.

Ao trafegar pelas vias lindeiras e passeios públicos edificados nas obras de duplicação da BR-101 Sul, os pedestres e ciclistas devem atentar além do fluxo de veículos, aos diretos e deveres a serem seguidos. O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) rege a forma como se deve portar em várias condições de vias, tráfego e movimentação dos usuários da rodovia que não conduzem veículos automotores. A forma segura de circular por vias lindeiras é seguir a sinalização vertical e horizontal destinada aos pedestres e, quando disponível, usar as ciclofaixas.

Os motoristas, por vez, devem observar os locais destinados aos ciclistas. Em Tubarão, por exemplo, há ciclofaixa construída entre os bairros Revoredo e Morrotes, dentro da travessia urbana da cidade. A sinalização vertical disposta nos bordos das vias laterais indica que veículos podem parar sobre a faixa dos ciclistas, porém, não estacionar. Quando um veículos ocupa o espaço, o condutor de bicicleta acaba disputando espaço com o fluxo de veículos local, se expondo ao risco de acidente. 

Dos vinte capítulos do CTB, um é exclusivo para atender a demanda de quem anda a pé ou utiliza bicicletas, ao trafegar por ruas lindeiras ou cruzar as pistas da BR-101 Sul. O capitulo quarto, entre os artigos 68 ao 71, dispõe sobre as normas de conduta desse tipo de usuário de vias públicas, diante de situações cotidianas. Mas, muitos pedestres desconhecem o conteúdo do código e, em ocasiões diversas, agem por instinto ou por conveniência.

Ainda, o primeiro parágrafo do artigo 26 do código diz que todos os usuários de vias públicas devem abster-se de todo ato que possa oferecer perigo ou obstáculo para o trânsito de veículos, de pessoas ou de animais, ou ainda causar danos a propriedades públicas ou privadas. Já o artigo 68 diz que o ciclista desmontado empurrando a bicicleta equipara-se ao pedestre em direitos e deveres.

TEXTO/ ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

REDAÇÃO JINEWS
Postado por REDAÇÃO JINEWS

Tudo o que acontece em Içara, Balneário Rincão e na região você encontra primeiro aqui!

JInews