• Coluna de Maso Nyetto - 25 de maio/2018

Coluna de Maso Nyetto - 25 de maio/2018

25 Mai, 2018 15:17:27 - Colunistas

É o momento do povo brasileiro
mostrar força apoiando a paralisação  dos caminhoneiros que chega ao quinto dia no Brasil. Mostrando não ter força e nem popularidade (com menos de 3% de aprovação) o presidente Michel Temer (MDB/SP), lavou as mãos como fez Pilatos, autorizou, por decreto,  o uso da Força Nacional para desmobilizar a paralisação , cujo movimento tem total apoio da sociedade brasileira. Ele se referiu que uma minoria está impedindo a acessibilidade no país.

O Governo Federal quer cobrar uma multa de R$ 10 mil por dia contra quem impedir o acesso de caminhões nas rodovias federais e estaduais. Autorizou o uso da força policial (exército, marinha, polícias civil e militar e rodoviária) para obstruir as vias.

Uma minoria radical, senhor presidente, que está dando uma verdadeira demonstração de união, transparência e coragem, ao contrário dos políticos, que fazem tudo na surdina.

A situação caótica que o país se encontra é culpa, unicamente, dos políticos corruptos (não vou citar os nomes por falta de espaço) que faliram a Petrobras. Agora a estatal quer cobrar do povo o débito.

É uma classe que tem o meu respeito. Os motoristas autônomos, sem o cabresto dos representantes dos sindicatos, engravatados e aproveitadores, que se aproveitam da situação para se beneficiar com acordos na surdina. 

Neste momento não existe sigla partidária, existe o interesse comum. Se tivermos que ficar algum tempo sem combustíveis, racionamento de comida, que seja, mas que esse ato faça com que o Governo Federal tenha humildade de aceitar a força dos caminhoneiros, sem bandeira política, de forma organizada competente paralisaram o país.

Os içarenses estão de parabéns em apoiar o movimento, que se concentra no Bairro Vila Nova.

O anúncio do Governo Federal

sobre a redução de 10% no valor do diesel por 30 dias não interrompeu as manifestações dos caminhoneiros. Na contramão, os pontos de bloqueio dos veículos de carga só aumentaram nesta quinta-feira, dia 24. Além da mobilização na Rodovia Paulino Búrigo (SC-445) no bairro Jardim América e na BR-101 em Poço Oito, a categoria se organizou também na Rodovia Jorge Zanatta (Anel Viário), no Presidente Vargas. O governo prometeu uma previsibilidade mensal nos preços do diesel até o final do ano sem mexer na política de preços da Petrobras, neste caso, com subsídio à empresa. Além disso, também se comprometeu a zerar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) para o diesel até o fim do ano e negociará com os estados o fim da cobrança pelo eixo suspenso, em caminhões que trafegam vazios. 

Os supermercados da cidade
já enfrentam problemas com o desabastecimento. Os produtos perecíveis como carnes, verduras entre alguns itens de laticínios já começam a faltar nas prateleiras. Também está faltando gás o que vai impedir a produção de pão.

Em consequência da falta de combustível e da restrição de insumos

o Hospital São Donato atenderá apenas casos de urgência e emergência a partir desta sexta-feira, dia 25. A medida visa a continuidade do estoque para situações graves, pacientes em internação e gestantes. A prioridade acontecerá por meio da classificação de risco já realizada na instituição.

As cirurgias eletivas marcadas para segunda-feira estão confirmadas. “Mas caso haja dificuldade de recomposição das matérias, novas medidas poderão ser adotadas a partir da próxima semana. Precisamos da compreensão da comunidade”, coloca o diretor-administrativo, Júlio César De Luca.

Os jornais de Içara 

não terão circulação neste sábado, dia 26. Além da falta de combustível para a entrega dos exemplares, o desabastecimento de papel nas gráficas inviabilizou a impressão. Caso haja insumos,  Jornal Içarense retornarão às bancas a partir então de terça-feira. A falta de material decorre da greve de caminhoneiros.

Os caminhoneiros, perueiros e motoristas de veículos pequenos

fazem um buzinaço nas ruas de Içara na manhã desta sexta-feira, dia 25. O barulho é ouvido em toda região central da cidade. A mobilização conta com aproximadamente 80 veículos. Muitos deles carregam faixas e cartazes de protesto contra o Governo Federal citando o fim da corrupção e, até, a necessidade de intervenção. O movimento começou contra o aumento dos combustíveis, mas se transformou num ato contra a classe política.

Em Içara

as lojas também paralisaram as atividades  nesta sexta-feira (25/5) em em manifestação de apoio aos caminhoneiros pela redução da carga tributária. Os lojistas e funcionários participaram de um ato na Praça da Igreja Matriz São Donato.

Transportadores escolares de Içara 

paralisaram o serviço nesta sexta-feira, dia 25. Mas não ficaram em casa. As últimas gotas de combustível serão utilizadas em manifestação junto com os caminhoneiros. A concentração iniciou na Rodovia Paulino Búrigo (SC-445) em frente da Apae e, após a passagem pelo Centro, seguirá até o bairro Jardim América, no acesso a BR-101, em Içara. A mobilização foi ampliada também por caminhoneiros, igualmente, descontentes com o acordo firmado por parte da categoria com o Governo Federal.

Não é somente pela falta de combustível 

que os motoristas vão deixar os automóveis em casa neste sábado, dia 26. A substituição por bicicletas acontecerá em referência ao Maio Amarelo. As atividades acontecerão na Praça do Imigrante, na Avenida Procópio Lima, a partir das 8h. O evento anunciará o estudante vencedor do concurso oficial da bandeira municipal da campanha com o hasteamento da flâmula e a entrega de uma bicicleta. Além disso, haverá inscrições no local para um passeio ciclístico com o sorteio de outra bicicleta e brindes.

O vereador Antônio de Mello (MDB)

manifestou apoio a paralisação dos caminhoneiros . "Deixo aqui a minha manifestação de repúdioaos as ações do Governo Federal em relação as reivindicações justas dos caminhoneiros, especialmente a infeliz atitude de usar as Forças Armadas para desarticular um movimento que reflete apenas o desgoverno de um país. Manifesto minha solidariedade e apoio a esses trabalhadores que acabam de provar ao mundo que o país caminha guiado por suas mãos. Parabéns aos líderes e a todos que fazem parte desse movimento. O povo brasileiro está com vocês".

A empresa Expresso Coletivo Içarense

anunciou corte de vários horários de ônibus, enquanto não houver a normalização do abastecimento de combustíveis. Outra decisão é a paralisação total do transporte ao meio dia de sábado (26/5).

Frase

“Todo mundo acatou a posição que pediram, mas eu não. Eu coloquei que respeito o que meus colegas pediram e estão sendo atendidos, que acho ser coisa secundária, e disse que vim resolver o problema do PIS, do Cofins e da Cide, que tá embutido no preço do combustível”. José da Fonseca Lopes, representante da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), negou o acordo proposto pelo governo de suspender a paralisação

MASO NYETTO
Postado por MASO NYETTO


Cooperaliança