• Coluna de Maso Nyetto - 03 de outubro/2018

Coluna de Maso Nyetto - 03 de outubro/2018

03 Out, 2018 10:07:31 - Colunistas

 “Teremos troca de arborização, além de revitalização das calçadas nas margens do trilho. Estão previstas ainda pavimentações, reconstituição de paisagismo e revitalização de praças. Serão realizados serviços de drenagem da esquina da Procópio Lima com a Marcos Rovaris, onde será feita uma caixa de conexão”. Arnaldo Lodetti Júnior, secretário de Planejamento e Desenvolvimento Urbano,  sobre o projeto inicial de revitalização da região central de Içara (SC) apresentado ao CDL. 

O prefeito Jairo Celoy Custódio (MDB)

Os desafios de Içara e da região foram debatidos na Associação Empresarial de Içara (Acii) durante a visita do candidato a deputado estadual Lauro Nogueira (PT) na última terça-feira (2/10). 

A apresentação da pauta faz parte da campanha do voto regional. Outros sete postulantes a deputado estadual, três a federal, um suplente ao Senado e um candidato a vice-governador manifestaram também espontaneamente apoio ao movimento multissetorial em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas. 

A mobilização em Içara (SC) concentra-se no apoio ao Hospital São Donato; implantação do Terminal Intermodal Sul; melhorias no acesso de Içara na BR-101; construção da sede do Corpo de Bombeiros de Içara; a instalação de hidrantes na SC-445 e áreas industriais; extensão da Avenida Procópio Lima e Manoel Gregório Pacheco entre Içara e Criciúma; revitalização da Praça da Matriz; simplificação e desoneração tributária; construção de um Centro de Eventos; mais câmeras e equipamentos aos órgãos de segurança.

A pesquisa do Instituto Datafolha

que registrou o crescimento de Jair Bolsonaro (PSL) e a ampliação da vantagem para Fernando Haddad (PT) na liderança do cenário para as eleições de 2018, também mostrou que um aumento significativo, de nove pontos percentuais, na taxa de rejeição do ex-prefeito de São Paulo (SP). Na última sexta-feira (28/9), eram 32% os eleitores que diziam não votar no petista em nenhuma situação. Esse número, agora, é de 41%, em empate técnico com o índice de Bolsonaro, que numericamente ainda é o mais rejeitado, com 45%, um ponto percentual a menos do que no levantamento anterior. A diferença, que passou a ser de quatro pontos, era de catorze há quatro dias e já chegou a ser de 21 pontos em 10 de setembro. Bolsonaro apenas oscilou, para mais ou para menos, ao longo do período, sempre na faixa de 40% a 45% pontos percentuais de rejeição.

O número de eleitores brasileiros que declararam não votar em Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT) também oscilou positivamente. No caso da ex-senadora e ex-ministra, cresceu de 28% para 30%; no do ex-deputado federal, foi de 21% para 22%. Geraldo Alckmin (PSDB) se manteve rejeitado por 24%.

De acordo com o Datafolha desta terça-feira (2/10), Henrique Meirelles (MDB) e Guilherme Boulos (PSOL) são rejeitados por 15%, Cabo Daciolo (Patriota), por 14%; Alvaro Dias (Podemos) e Vera Lúcia (PSTU), 13%; José Maria Eymael (DC) e João Amoêdo (Novo), 12%; e João Goulart Filho (PPL), 11%. Os que rejeitam todos os candidatos são 3% e os que poderiam votar em todos são 1%. Outros 4% não souberam responder à pergunta. 

A pesquisa Datafolha ouviu 3.240 pessoas durante o dia nesta terça-feira, 2. A margem de erro é de 2 pontos porcentuais, para mais ou para menos. O levantamento foi registrado no TSE sob a identificação BR-03147/2018.

Outras NOTÍCIAS

Florianópolis (SC) - A próxima quinta-feira (4) marca o fim da transmissão da propaganda eleitoral gratuita em rádio e TV, iniciada em 31 de agosto. O horário é garantido pela Lei das Eleições e está disposto no Calendário das Eleições. Em caso de segundo turno, a transmissão  iniciará dia 12

São Paulo (SP) - A campanha de Fernando Haddad (PT) avalia que uma onda de voto evangélico se concretizou contra o petista e que o candidato precisa reforçar o canal direto com o eleitor mais pobre caso queira chegar ao segundo turno. Jair Bolsonaro (PSL), cresceu entre eleitoras mulheres, pobres e evangélicas.

São Paulo (SP) - O candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, vai explorar a delação do ex-ministro da Fazenda do PT, Antônio Palocci. “Comprovado o que o Brasil tinha certeza: Lula sabia de tudo”, diz o vídeo. Ele está tentando recuperar o apoio dos eleitores anti-petistas.

MASO NYETTO
Postado por MASO NYETTO


Cooperaliança