Coluna de Elza de Mello - 29 de agosto/2017

29 Ago, 2017 09:54:02 - Colunistas

IÇARA NOSSA TERRA NOSSA GENTE (220)

Falar de ação social é bonito, sem dúvida. Praticar uma ação social sem um reconhecimento financeiro é uma coisa quase que impossível. Isso nos reporta à Madre Tereza de Calcutá, a Joana de Gusmão e outras esmoleres que dedicaram suas vidas para ver uma obra social concluída ou dar alento aos mais necessitados. E embora saibamos que haja santidades em nossos dias, é muito difícil distinguir uma ação social sem um primeiro interesse da própria pessoa. São valores tão raros que chegamos a não acreditar que irá sobreviver em um mundo de ganância e  de mentes consumistas.

Pois bem, no último domingo, dia 27 de agosto, o lançamento da obra 30 Anos de Amor à Vida: Pastoral da Criança, deu o toque para que creiamos em uma ação social pautada no amor e na caridade. São 30 anos de doação de um grupo de mulheres que assumiram a obra social que Padre Silvestre Junkes plantou na Paróquia São Miguel. São 30 anos de dedicação às causas sociais em prol dos fragilizados pela carência de amor, de alimentação sadia, de medicação acessível, de vida digna. E a frente desse objetivo humano está uma mulher simples, humilde e humana que não mediu esforços e nem distância para fazer florescer essa obra social. Junto a ela, sempre esteve o mentor da idéia da Pastoral em Vila Nova, dando-lhes forças, fazendo-a acreditar na possibilidade de existência. 

Foram 30 anos que acompanhei a trajetória da Pastoral da Criança por motivos óbvios: estar instalada em minha Paróquia; dona Anair ser minha vizinha e uma pessoa muito comunicativa e amável; atender as crianças que passavam pelas nossas escolas locais; atender crianças que seguiriam para o ensino aprendizagem, depois de tratados e alimentados corretamente, com mais possibilidades cognitivas. E enquanto eu estava o dia inteiro em sala de aula, as voltas com o ensino, ela estava o dia inteiro envolvida com o fazer social sem remuneração. Uma mulher que tinha a sua economia centrada na agricultura, estava a doar-se em uma ação social sem remuneração alguma.

Foi novamente o Padre Silvestre quem procurou cobrir essa lacuna da falta no trabalho familiar. Então pela primeira vez a Paróquia São Miguel chamou uma secretária para atender aos mil compromissos naquela secretaria. E Anair Calegari ocupou-a com desempenho e por merecimento. As coordenadoras de núcleos da Pastoral do bairro Vila Nova podiam procurá-la a qualquer hora, sem compromisso de reuniões para o encontro. As coordenadoras de núcleos da Pastoral  das 20 comunidades fora da Matriz podiam passar a qualquer hora e tinham comunicação com a sua coordenadora Paroquial. E as comunicações foram bem mais facilitadas. Não seria preciso pegar ônibus a toda hora para estar junto às lideranças. 

Muitas portas se abriram para receber as doações de roupas que vestiam as pessoas mais carentes depois de um reparo feito pelas voluntárias que costuravam, lavavam, enfeitavam, transformavam-nas para outros usos no Bercinho da Esperança. Elas costuraram e reciclaram suas doações embalando sonhos trazido por Irmã Zilda Arns, colega de escola de Padre Silvestre, em Forquilhinha. Foi ela quem trouxe a novidade da Pastoral  em uma assembléia diocesana, em Laguna, e Padre Silvestre trouxe para a Paróquia São Miguel. A idéia lançada por Padre Silvestre, Anair Calegari carregou por todos os cantinhos de nossa Paróquia e fez brotar trabalho e perseverança. O lançamento da obra corou a data de aniversário da Pastoral, e foi a maneira mais bela de poder agradecer a todos que se doaram e aos que continuam se doando por essa obra social de verdade, sem interesses particular. É uma obra de amor verdade: amor pela vida preparando as futuras mães e acompanhando seus filhos na vida social e religiosa, cientes de que a primeira infância  é decisiva por toda a vida.  Foi lindo!!

Parabenizando a dona Anair Calegari, parabenizo a todos os voluntários e voluntárias que se doam para a Pastoral, cultivando a partilha do amor e da vida em sua generosidade. 

ELZA DE MELLO
Postado por ELZA DE MELLO


JInews