Coluna de Elza de Mello - 23 de maio/2018

23 Mai, 2018 09:28:25 - Colunistas

IÇARA NOSSA TERRA NOSSA GENTE (213)

Dia 22 de maio celebra-se o dia do apicultor e o dia internacional da Biodiversidade. Nossa homenagem de hoje vai para aqueles que com seu precioso trabalho, contribuem para promover a sustentabilidade e conservar a biodiversidade.

Içara, conhecida como capital do mel tem na sua história a contribuição de apicultores memoráveis como o Sr. Sebastião Recco e Vitorino Cechinel, pioneiros nos cuidados apículas e desenvolvedores de enxames de abelhas melíferas.  Foram esses pioneiros anônimos que mais contribuíram para o desenvolvimento das técnicas apículas lá pelo inicio da década de 60. 

A contribuição das abelhas vai muito além do mel: elas são fundamentais para a polinização, processo fundamental para a produção de alimentos. 

A Desordem do Colapso das Colônias (DCC) é o fenômeno que tem provocado o desaparecimento desses polinizadores em diversos países, principalmente os do Hemisfério Norte. Cientistas ainda buscam uma explicação para suas causas, mas tudo indica que seja um conjunto de fatores. 

Especialistas que estiveram reunidos na Conferência da ONU sobre Biodiversidade, em Cancún,, no México, afirmaram que abelhas, borboletas, besouros e outros insetos estão sob ameaça das atividades humanas.

Eles alertam que os países devem modificar suas práticas de agricultura para garantir que a produção das colheitas seja suficiente para cobrir a demanda e evitar perdas econômicas.

Biodiversidade é vida na Terra, biodiversidade tem a ver como  nós nos alimentamos, com as espécies e as variedades que existem de plantas, de animais e de peixes. É necessário preservar essa biodiversidade para que nós possamos alimentar uma população crescente, que se pensa ser de 9 a 10 bilhões em 2050. Simon Potts, afirmou que o desequilíbrio desses insetos afetam todas as pessoas. Segundo ele, a comida e a bebida que as pessoas consomem, desde frutas e vegetais até o chocolate e o café, dependem dos polinizadores.

Na época em que os pioneiros em apicultura, Sebastião  Recco e Votorino Cechinel entraram na produção de seus apiários, uma espécie de eucalipto foi inserida nos seus sítios. Era uma espécie especial em florada e atraía as abelhas, que encontravam pólen farto para a produção melífera. Mas os reflorestamentos não foram levados em frente e os apicultores buscaram o planalto serrano ou outros Estados  em busca de floração. Içara teve sua produção de eucalipto diminuída e os loteamentos alargados, razão para o declínio dos apiários.  Mas preservar abelhas ainda é pensar em agricultora promissora e alimento na mesa de todos, além da doçura do mel

Parabéns apicultores içarenses!! Vocês são valorosos em seu trabalho e na contribuição da Biodiversidade em nosso município. O universo agradece vossa ação generosa.  

ELZA DE MELLO
Postado por ELZA DE MELLO


JInews