Coluna de Elza de Mello - 19 de fevereiro/2019

19 Fev, 2019 09:44:49 - Colunistas

IÇARA NOSSA TERRA NOSSA GENTE – MATIZES AÇORIANO (5)

E hoje, 19 de fevereiro de 2019,  marca o reinicio de mais um ano letivo na rede municipal de ensino içarense. A rede estadual e particular já iniciou o seu ano letivo com uma semana de antecedência. É mais um ano que se reinicia, pode-se dizer, pois hoje não vêm mais crianças para o primeiro ano do Ensino Fundamental que não tenha frequentado um Centro de Educação Infantil. O primeiro ano escolar já é uma continuidade escolar e já trazem as mãozinhas habilidosas pela sua passagem na escola infantil. É um privilegio que alcança até nossas crianças de zonas rurais. Um avanço que deverá ser cultivado pelos professores, que  terão em suas mãos essas crianças que hoje trocam de escola e de nível de ensino. E não há como não recordar o primeiro dia na escola ao ver a emoção de maus netos, especialmente de Ana Cecília que saiu de um CEI e ingressou em uma escola de Ensino Fundamental. Parece que revivi meus primeiros dias de aula no Grupo Escola Maria da Gloria Silva, em Mineração de Içara. Eu tinha ainda idade incompleta para frequentar o primeiro ano, mas o diretor atendeu ao pedido de meu avô e eu fui matriculada para o meu primeiro ano escolar sem ter passado por jardim de infância, pré-escolar ou qualquer preparação que seja. Mas fiz bonito e consegui ser aprovada para admiração de meus pais que não haviam me matriculado por pensar que eu não teria condições de ser promovida. Pois é.... ninguém pode predeterminar a capacidade de uma criança sem colocá-la a prova.  

Mas voltando ao inicio do ano escolar, como este ano é o primeiro de 47 anos de magistério, que não estou na labuta, observo as atividades de professores e direção, as iniciativas das famílias e o respaldo dos estudantes atualmente. Posso garantir que há uma diferença gritante entre o que foi ser estudante de minha época de aluna, em meu inicio de carreira de professora e nos dias atuais. Posso fazer um paralelo na evolução da educação formal, com muita eficiência, e falar com segurança nos desvios do processo educacional e no avanço da tecnologia que ultimamente passou a direcionar a vida familiar e escolar do estudante. 

O que poderia ser um avanço tornou-se um retrocesso para a educação, que tem ainda como centralizadora o livro didático. E aí se percebe que são dois recursos antagônicos. O professor tem o seu capital de conteúdos para repassar ao aluno, e este se nega a assimilar o depósito do professor. Aí entra a nota de avaliação para chamar a atenção dos alunos (recurso que cuidávamos para sermos bons alunos), mas há, atualmente, uma imensa indiferença do aluno pela tal de avaliação e, no final lá vem os bônus  que o aluno espera e geralmente alcança, para desespero do professor que sente a sua impotência.  É...não é fácil ser professor nos dias atuais.

Entre conflitos e conceitos lá vai o proletariado buscando meios  de sobreviver na selva que a elite ergue a sua volta, e nem percebe que a escola é o primeiro meio de manobra da grande massa popular. Bons professores promovem a educação como acesso de escalada social aos seus alunos, outros usam a educação como um talismã em seu favor e esquecem a finalidade de ser educador. 

Mas nesse dia tão especial, Bem vindo alunos içarenses!! A escola lhe espera com carinho.

ELZA DE MELLO
Postado por ELZA DE MELLO


Satc