Coluna de Elza de Mello - 12 de março/2019

12 Mar, 2019 09:25:19 - Colunistas

IÇARA NOSSA TERRA NOSSA GENTE – Matizes Açorianos (8)

E mais uma vez estamos no período da quaresma e participaremos  da  Páscoa Cristã, uma das festividades mais importantes para o cristianismo, pois representa a ressurreição de Jesus Cristo, o filho de Deus. A data é comemorada anualmente e com inicio no primeiro domingo após a primeira lua cheia, que ocorre no início da primavera (no Hemisfério Norte) e do outono (no Hemisfério Sul). A data é sempre entre os dias 22 de março e 25 de abril.

A Páscoa já era comemorada antes do surgimento do Cristianismo. Tratava-se da comemoração do povo judeu por terem sido libertados da escravidão no Egito, que durou aproximadamente 400 anos. Segundo a Bíblia, Jesus teria participado de várias celebrações pascais. Quando tinha doze anos de idade foi levado pela primeira vez pelos seus pais, José e Maria, para comemorar a Páscoa, conforme narram algumas das histórias do Novo Testamento da Bíblia.

Os 40 dias de quaresma eram de devoção para nós, da cultura de base açoriana. Rezávamos as quaresmas, ou seja, durante os quarenta dias fazíamos orações e oferecíamos nossas orações em intensão ao bem estar de uma pessoa da qual gostávamos. E a cada dia (ou noite) que fazíamos nossas orações, dávamos um nó em uma linha usada com o proposito de construir uma espécie de rosário, feito de nozinhos. No domingo de Páscoa encerrada nossas orações, recortávamos um coração duplo em um papel e costurávamos o cordão de nós no coração. Era uma espécie de pão por Deus quaresmal. Ai oferecíamos a pessoa agraciada com nossas orações  quaresmais. Sempre gostei desse propósito de quaresma e doei algumas quaresmas a minha avó materna,(a única que conheci). Ela ficava muito agradecida e profundamente emocionada ao receber. Se acaso ela não recebesse nenhuma quaresma, ficava pensando em maus augúrios e  muito apreensiva, tal era a sua fé nas quaresmas de páscoa. 

Sexta Feira Santa é o dia em que os cristãos celebram a morte de Jesus na cruz. Quando era criança, este dia se revestia de tamanho respeito que não se fazia nenhum trabalho. A família inteira ia à igreja, fazia penitencia em memoria da morte de cruz sofrida por Jesus Cristo. Era um dia de abstinência de carne vermelha e havia as receitinhas que amávamos: Canjicas, farofa de amendoim, batata assada e aipim cozido, refeições leves e caminhada a pé para fazer penitencia.

   No Domingo de Páscoa, os cristãos celebram a Ressurreição de Cristo e a sua primeira aparição entre os seus discípulos e para nós ainda era de muito respeito. Não existiam os ovos de chocolates e nem a figura do coelhinho. Só pela tarde é que as crianças observavam a malhação de Judas que algum adulto organizava. Então o Judas era malhado sem piedade para exorcizar os pecadores que julgaram e executaram o Filho de Deus. Era uma verdadeira catarse a malhação do Judas. Um costume que foi desaparecendo com o tempo,  e hoje poucas pessoas conhecem a malhação de Judas do Domingo de Aleluia. O período quaresmal atualmente traz a reflexão da Campanha da Fraternidade e nos unimos em grupos de famílias para rezar e refletir à luz do Evangelho, o tempo quaresmal. Este ano a Campanha da Fraternidade 2019 nos aponta Fraternidade e Politicas Públicas para nossa reflexão e ação.

Que sejamos fraternos em nosso dia a dia para vivermos ao mandamento universal – O Amor.

ELZA DE MELLO
Postado por ELZA DE MELLO


CDL Içara