• Coluna Aquila - Ajudar em casa faz bem para o seu filho

Coluna Aquila - Ajudar em casa faz bem para o seu filho

19 Nov, 2018 09:47:30 - Colunistas

Mamãe pede para o seu filho tomar banho. Ele deixa o calçado no meio da sala a roupa suja no chão do banheiro e, depois do banho, a toalha molhada é deixada em cima da cama. Se ele já é grandinho e sabe se vestir sozinho, abre a gaveta do armário (não fecha) e fica tudo de qualquer jeito. Você encontra o quarto bagunçado, só que pensa que ele é muito pequeno para deixar a casa em ordem. Também imagina que, caso ele arrume, vai fazer de qualquer jeito. Então, a mãezinha pensa “é melhor poupar” o esforço do pequeno e resolver tudo em questão de segundos.

Se caso você já passou por isso ou pensou assim, é bom rever seus conceitos. Incluir as crianças nas atividades do lar desde muito cedo (a partir dos 2 anos) desenvolve a  independência, a responsabilidade, a autoestima, a coordenação motora e ainda faz com que ela dê valor ao trabalho dos outros. “Precisamos mudar o paradigma. A nossa crença é de que criança faz tudo errado. Se os pais deixarem acontecer naturalmente, ela vai ajudar e repetirá igual”.  Um dos grandes empecilhos da manifestação natural da criança de querer cooperar são os próprios pais. 

Muitos pais reclamam da correria do dia a dia e não se preocupam em ensinar essas tarefas às crianças. Preferem que depois de grandes, na adolescência, elas tenham consciência do trabalho em equipe e cooperação. Estão completamente enganados, é na infância que as crianças desenvolvem as habilidades mencionadas acima. Se esperarmos, quando crescerem, é muito provável que achem chatos os serviços domésticos. Portanto, vale a pena o esforço agora, pois, além de contribuir para o bem-estar de toda a família, esse tipo de atividade desenvolve habilidades que serão necessárias no futuro. Afinal, todo mundo vai precisar lavar uma louça, ajeitar os pertences, retirar a mesa do café, enfim ser independente.

“É essencial dar tempo e espaço para os pequenos. É claro que vai haver bagunça e nem sempre a atividade será concluída de maneira satisfatória. Lembre-se de que o importante é a participação e o desenvolvimento da autonomia deles, afinal você está formando um novo ser.

Quanto mais cedo a criança ajudar melhor, pois aos poucos isso vai se tornando um hábito. Fazer junto com a criança é primordial, pois ela imita os adultos.  É claro que há momentos em que não vão querer cooperar. Nesse caso, vale sempre iniciar uma conversa. Filho você vai me deixar fazer sozinha?”. Na maioria das vezes, ele acaba atendendo ao pedido da mãe por já entender o real sentido de ajudar o outro.

“Saiba lidar como não da criança e nunca desista, persista diariamente”. Se você quer ter pessoas competentes, independentes e autossuficientes, precisa trabalhar isso ao longo do tempo. Crie desafios, a criança vai ficar mais instigada a fazer a tarefa doméstica se parecer uma “brincadeira”. Portanto, que tal propor: “Vamos ver quem consegue guardar os brinquedos mais rápido?”. Será uma experiência muito divertida.

 E, atenção: não dê nenhuma recompensa pelas tarefas. A melhor forma de reconhecer o esforço do seu filho é verbalmente. Agradeça, parabenize e diga como a atitude dele ajudou a família inteira. Caso algo dê errado, atente-se sempre à conquista e não à falha. O que não pode é desmotivá-lo. Tenha em mente que crianças querem imitar. Se você quer que elas façam algo, tem que fazer também. É preciso dar exemplo, Saiba também que a tarefa pode ser chata para você, mas para os pequenos tudo é novidade. Então, preste atenção na hora que você for apresentar uma atividade, nunca faça cara feia.

Outro cuidado que os pais devem ter é não criar tarefas específicas de meninos e de meninas. Por exemplo: o filho leva o cachorro para passear e a filha fica responsável por lavar a louça. “Não podemos criar medidas educacionais sexistas, nem pequenos príncipes que querem ser servidos”. Todos são igualmente capazes e devem colaborar em tudo desde cedo. Acredito que dessa forma deixaremos pessoas melhores nesse mundo.

Se depois de tudo o que leu ainda se pergunta em que momento poderia pedir para o seu filho contribuir com algumas tarefas de casa, saiba que essa ajuda pode começar mais cedo do que imagina. Mesmo com pouca idade, a criança já possui capacidade motora suficiente para desempenhar uma série de atividades. E isso é importante para ela, pois, quando é incluída em tarefas domésticas, passa a participar da dinâmica familiar e percebe como as atividades feitas pelos pais são difíceis, valorizando mais esses momentos.

Ieda Elias
Psicóloga Clínica
CRP 12/16494

Claudete Corrêa
Psicóloga Clínica
CRP 12/15541

IEDA ELIAS E CLAUDETE CORRÊA
Postado por IEDA ELIAS E CLAUDETE CORRÊA


Cooperaliança