• Cocal do Sul discute sobre saúde feminina pelo SUS

Cocal do Sul discute sobre saúde feminina pelo SUS

26 Abr, 2017 17:17:20 - Geral

Cocal do Sul (SC)


A vice-prefeita de Cocal do Sul, Cirlene Gonçalves Scarpato juntamente a secretária de Saúde, Sinara Crippa Milanez, técnicos e conselheiros da saúde, representantes e as vereadoras, Giovana Galatto e Nega Cittadin, participaram na terça-feira (25), da A 1ª Conferência Regional da Saúde das Mulheres da Amrec. Durante todo o dia, foi promovido o debate e diálogos sobre o respeito, igualdade e cuidados durante o atendimento feminino no SUS (Sistema Único de Saúde). O evento foi realizado no Auditório Ruy Hulse, na Unesc.

 

A Conferência teve como tema “Saúde da Mulher: desafios para a integralidade com equidade”. O objetivo principal é levantar questões para buscar melhorias e dar qualidade à saúde feminina na região, propondo temáticas para elaboração de políticas públicas. Segundo Sinara, a presença de Cocal do Sul foi muito participativa. “Nós garantimos a participação de quatro titulares para a Conferência Estadual. Além disso, todos os integrantes tiveram uma noção do perfil epidemiológico da saúde da mulher na região e puderam contribuir para que as propostas aprovadas fossem dentro da realidade de cada município”, destacou a Secretária.


A Conferência Regional também é uma preparação para a Conferência Estadual. Durante o evento foi aprovado o regimento interno, destacado os dados sobre a saúde da região e a eleição de delegadas. O evento ainda proporcionou uma mesa redonda para o debate com especialistas e eixos para fomentar a reflexão sobre os assuntos. As profissionais da saúde de Cocal, Denise Becker Feliciano e Rosiane Vieira fizeram parte da Comissão organizadora do evento.

 

Entre as principais propostas:

 

-  Fomentação de leis que garantam a liberação para exames de rotina anuais em saúde da mulher, bem como o fortalecimento da saúde das trabalhadoras dentro das indústrias.

- Garantir acesso das mulheres ao emprego e à equiparação de salário entre homens e mulheres na mesma função;

- Garantir condições de trabalho que proporcionem qualidade de vida e saúde às mulheres trabalhadoras, com vedação de jornadas de trabalho excessivas, trabalho em condições penosas e garantia de ambiente saudável, inclusive psicologicamente, sem nenhum tipo de assédio moral ou sexual no trabalho;

- Tornar obrigatória, para todos os setores públicos e privados, a licença maternidade, por período mínimo de seis meses, de forma a garantir maior tempo de contato e cuidado com as crianças, inclusive para adotantes;

- garantir as boas práticas no pré-natal, parto e puerpério a todas as mulheres sendo respeitado as questoes culturais, tendo como enfase o aleitamento materno.

- revisão das dcn(diretriz curricular nacional) nos cursos de níveis superiores e técnicos, e educação permanente (fomento de ações educativas) enfocando situações de maior vulnerabilidade (indígenas, pessoas em situação de ruas, usuárias de crack, álcool e outras drogas, negras, ciganas, encarceradas, mulheres com deficiências, lésbicas, bissexuais, transexuais, travestis, em situação de violência, mulheres do campo, floresta, água, e estrangeiras).

 

- Garantir a aplicação da lei de acesso ao diagnóstico e tratamento oncológico em até 60 dias.

- Desenvolver estratégias de empoderamento feminino, levando em consideração as questões territoriais, sendo uma delas, a realização de reuniões itinerantes promovidas por conselhos Municipais de Direitos nesta perspectiva.

- Ampliar diálogos intersetoriais que fomentem as reflexões que promovam a cidadania e redução da violência contra a mulher incluindo as questões relativas à mulheres negras, mulheres com deficiência, mulheres transexuais e travestis, prostitutas e outras.(Indígenas, pessoas em situação de ruas, usuárias de crack, álcool e outras drogas, negras, ciganas, encarceradas, mulheres com deficiências, lésbicas, bissexuais, transexuais, travestis, em situação de violência, mulheres do campo, floresta, água, e estrangeiras).

Participantes de Cocal na Conferência

 

Presidente do conselho de Saúde: Aldo Morona

Claudete Querino: Conselho

Denise Becker Feliciano: enfermeira

Rosiane Vieira: assessora especial

Analice Goulart: representante ONG Amigas do Peito

Luciana Geronimo: psicóloga CREAS

Célia Rezin: representante dos idosos

Augusta da Rosa: representante dos idosos

Maria de vila pagnan: representante dos idosos

Ana Claudia Rosso: representante da mulher negra

Marcelita Cataneo:Repres. A APAE

Gilmara Viel: Saúde da mulher

Augusta da Rosa: representante dos idosos

Carina Denoni: secretaria de saúde


TEXTO/ ASSESSORIA DE IMPRENSA
FOTO/ DIVULGAÇÃO

REDAÇÃO JINEWS
Postado por REDAÇÃO JINEWS

Tudo o que acontece em Içara, Balneário Rincão e na região você encontra primeiro aqui!

JInews