• Arlindo Rocha sai em férias e faz balanço do primeiro ano

Arlindo Rocha sai em férias e faz balanço do primeiro ano

02 Jan, 2018 15:26:50 - Política

Maracajá (SC)

Implantar uma nova mentalidade administrativa e política, priorizando a gestão de resultados e afastando todos os interesses político-partidários. Esta foi a principal realização da administração municipal de Maracajá, na avaliação do prefeito Arlindo Rocha, ao analisar os primeiros 12 meses de seu governo. “Chegamos ao fim do ano sem dívidas com fornecedores, pagando os salários de dezembro antes do Natal e com recursos em caixa”, disse Arlindo.

O prefeito de Maracajá saiu em férias nesta terça-feira (2) e transmitiu o cargo ao vice-prefeito Ademir de Oliveira, em solenidade acompanhada pelo presidente da Câmara de Vereadores Volnei Rocha, vereadores Prezalino Ramos Neto, Guilherme Rocha, João Rocha e Valmir Pedro, além de secretários e diretores municipais, a quem Arlindo agradeceu o empenho de todos no ano que passou. O vice-prefeito, agora prefeito em exercício, Ademir de Oliveira, destacou os avanços da administração, garantiu dar continuidade aos trabalhos e, após assinar a ata de posse, dirigiu a primeira reunião do colegiado.

Ao avaliar seu primeiro ano de governo, Arlindo disse que “era preciso romper com modelos que se repetiam a décadas em Maracajá, a exemplo de municípios com as mesmas características sociais, políticas, populacionais e culturais; em nossa cidade sempre prevaleceu os interesses de grupos políticos e de pessoas sobre as necessidades e interesses coletivos, em especial dos que mais precisam da administração municipal”.

A primeira iniciativa, lembra, foi passar a administrar a administração, focando as atenções no controle das contas e das ações administrativas. “Foi preciso acabar com o jeitinho de resolver as questões, eliminar privilégios, dar um basta nas discriminações calcadas no partidarismo e, sobretudo, não apenas ser, mas mostrar a honestidade e a transparência em todos os atos públicos”, acrescentou o prefeito de Maracajá.

Para materializar a transparência, além das ações cotidianas, foram instituídas audiências públicas demonstrando a origem de cada centavo arrecado e onde foram aplicados os recursos, salienta Arlindo, ilustrando que “não apenas apresentamos gráficos e quadros demonstrativos de despesas e receitas em linguagem simples e de fácil entendimento, mas disponibilizamos notas fiscais, contratos, convênios, enfim, todos os documentos relativos a despesas e receitas”. As audiências têm ampla divulgação, inclusive com carros de som circulando pela cidade convidando a população.

Problemas históricos de Maracajá estão sendo enfrentados com coragem, segundo o prefeito dos maracajaenses. Um deles, de mais de 40 anos, a exploração de basalto do Morro Maracajá, está próximo de uma solução definitiva. “Por décadas nosso morro foi explorado e a cidade não ganhou, praticamente, nada; alguns poucos se beneficiaram, mas colocamos um ponto final e a atividade econômica que interrompemos, vai ser retomada, mas com contrapartidas ao município”, diz.


As empresas que atuam no Morro Maracajá vão repavimentar a Rodovia Adilton de Medeiros, o acesso norte à BR-101, recuperarão totalmente a Rua Pedro Rocha, cederão mensalmente 400 toneladas de pedras britadas para revestimento de vias sem pavimentação, preparando-as para que sejam asfaltadas no futuro, além de formarem um fundo com 0,75% do faturamento mensal para recuperação ambiental das áreas exauridas, doando-as ao município.

“São muitos exemplos de como é possível resolver problemas antigos e há muito reivindicado pelas comunidades, como o acesso à localidade de Encruzo do Barro Vermelho, que será pavimentada no decorrer de 2018 pela empresa que explora uma jazida de areia na localidade de Ilhas, distrito de Hercílio Luz, Araranguá, mas que trafega pelas estradas de Maracajá para chegar à BR-101”, informa Arlindo.

Desafios fazem parte da rotina dos administradores de municípios brasileiros e Maracajá, na ótica do advogado Arlindo Rocha, não foge à regra. “Precisamos de um novo pacto federativo, como defendia o ex-governador Luiz Henrique da Silveira, pois o que resta aos municípios é pouco, mas ao mesmo tempo o suficiente para resolver com criatividade, controle e eficiência as questões do cotidiano; mas para obras estruturantes e escolas, por exemplo, sem recursos federais e estaduais, não há como as prefeituras resolverem”, atesta.

Uma das prioridades da administração,  a educação, ganhou em qualificação neste ano, com os quase 1 mil alunos da rede estudando com apostilas da Editora Positivo, material utilizado pelos melhores colégios particulares do país. Cada aluno, na “volta às aulas” em 2018, vai receber um tablete. A maior escola da cidade será reformada e duas novas unidades serão concluídas nos primeiros meses de 2018. “Mas, precisamos encontrar alternativas para remunerar melhor nossos professores”, adverte o prefeito.

Na saúde, a cada mês, em média, a Prefeitura de Maracajá recebe cerca de R$ 57 mil do governo federal e o setor consome mensalmente em torno de R$ 300 mil. “E esta é, ainda, a principal reivindicação da comunidade, por isto a saúde receberá mais atenções e investimentos no próximo ano; vamos reabrir a Unidade de Saúde da Vila Beatriz, ampliando o atendimento médico até às 22 horas, entre outras medidas já preparadas”, informa Rocha.

O prefeito estabeleceu ainda como meta da administração em 2018 o vídeo monitoramento da cidade, garantindo a segurança que a comunidade espera, um processo de recuperação e revitalização de parques e praças, embelezando a cidade e enfrentando um dos graves problemas da administração, a previdência dos servidores municipais, voltando as contribui,coes ao INSS, como fez o município de Xanxerê. “Vamos conhecer este processo de perto e encontrar uma solução”, finalizou o prefeito.

TEXTO/ASSESSORIA DE IMPRENSA
FOTO/DIVULGAÇÃO

REDAÇÃO JINEWS
Postado por REDAÇÃO JINEWS

Tudo o que acontece em Içara, Balneário Rincão e na região você encontra primeiro aqui!

JInews