• A data de 21 de março é Dia do Amor em homenagem a Síndrome de Down

A data de 21 de março é Dia do Amor em homenagem a Síndrome de Down

21 Mar, 2021 20:42:55 - Colunistas

Içara (SC)

Domingo, dia 21 de março, comemorou-se o Dia Internacional da Síndrome de Down. Impossível não lembrar quando temos uma pessoa especial na família. E se essa pessoa especial é portadora da Síndrome de Dow, então é a homenageada nessa data comemorativa. Inseri-la no meio social, capacitar para a vida e a sua autonomia é um desafio que vale a pena investir. A criança Down está aberta a essas perspectivas de ação.

A Síndrome de Down foi descoberta em 1862 pelo médico britânico - John Langdon Down, e apesar de ainda estarmos em situação muito distante da ideal,  nesse intervalo de 159 anos muitos foram os avanços no âmbito da ciência e da sociedade, de forma especial nas últimas três décadas. Basta você observar como os casos da síndrome aparentemente “aumentaram”. Mas não. É que antigamente as crianças ou adultos com a síndrome pouco saíam de casa, infelizmente. Eram na verdade, escondidas da sociedade.

A Síndrome de Down é uma ocorrência genética natural (não uma doença) em que, por motivos desconhecidos, na gestação, há uma alteração cromossômica durante a divisão de células do embrião, fazendo com que a criança nasça dotada de três cromossomos 21, e não dois como é o usual. Essa situação acaba por afetar o desenvolvimento da pessoa e determinar algumas características físicas e cognitivas peculiares. As pessoas com Síndrome de Down, no entanto, têm a capacidade de levar a vida, inseridos na sociedade. A criança com SD têm capacidade de aprender, mas tem dificuldade de aprender e adaptar-se. Em razão disso a adaptação pertinente educativa (objetivos, métodos, avaliações, etc.), tem o propósito de conseguir avanços progressivos.

A Lei de integração do deficiente (LISMI), Lei 13/1982, de 7 de abril, de Integração Social da Pessoa com Deficiência  em 1982, sofreu uma mudança onde definiu que os deficientes devem se integrar no sistema ordinário de educação geral, recebendo os programas de apoio e todos os recursos que necessite. E por outro lado, para aqueles que resultarem impossível a escolarização, em centros de educação especial, a Lei de Ordenação Geral do Sistema Educativo (LOSE) de 1990, estabelece que o todo sistema educativo, deve dispor de recursos necessário para que a criança com necessidades especiais educativas, possam alcançar, os objetivos estabelecidos para todos os alunos.

Exemplos do reconhecimento desses cidadãos como capazes podem ser encontrados no mundo jurídico desde as modificações ocorridas nos artigos do Código Civil, por meio da Lei n. 13.146/2015 (Estatuto da Pessoa com Deficiência), em especial no art. 3º, o qual dispunha antes do referido diploma legal que eram absolutamente incapazes os que, por enfermidade ou deficiência mental, não tinham o necessário discernimento. Com a nova redação, que revogou esse inciso, ampliou-se o entendimento de que indivíduos com condições especiais, como as pessoas com síndrome de Down, podem desenvolver atividades como qualquer outro cidadão.

Oficialmente estabelecida em 2006 e amplamente divulgada, essa data tem por finalidade dar visibilidade ao tema, reduzindo a origem do preconceito, que é a falta de informação correta. Em outras palavras, combater o “mito” que teima em transformar uma diferença num rótulo, numa sociedade cada vez mais sem tempo, sensibilidade ou paciência para o “diferente”.

ELZA DE MELLO
Postado por ELZA DE MELLO


GIASSI